Prurido vaginal, como tratar?

Início/Sintomas e Cuidados/Prurido vaginal, como tratar?

Prurido vaginal, como tratar?

Sentir aquela coceira incômoda que ataca as partes íntimas é muito desconfortante. E o prurido vaginal, nome dado a esta irritação comum, causa ardor, formigamento e sensação de picadas na pele na zona íntima.

Mulheres de qualquer idade, sexualmente ativas ou não, podem possuir o prurido vaginal. O desconforto causado, geralmente, é associado a sintomas de infecções vaginais como a candidíase, mas pode estar relacionado a doenças inflamatórias das mucosas, como líquen escleroso, alergias ou atrofia típica da menopausa.

Para te ajudar a entender tudo sobre o que é o prurido vaginal, como ele se manifesta, quais as doenças relacionadas e cuidados básicos para prevenir e combater esse incômodo, produzimos este artigo com todas as informações. Vamos lá?

O que é prurido vaginal

O prurido vaginal é uma irritação caracterizada por coceira intensa, ardor, formigamento e sensação de picadas na pele da região íntima. Quando essa coceira torna-se persistente e dura muito tempo é motivo de preocupação.

Isso porque o prurido vaginal também pode ser sintoma de algumas doenças, como a vaginose bacteriana e gonorreia, que são consideradas doenças sexualmente transmissíveis.

O diagnóstico preciso é feito pelo exame ginecológico, com coleta do material vaginal e com histórico da paciente.

Causas comuns de prurido vaginal

A irritação vaginal pode ser desencadeada por diversos fatores, como por exemplo:

  • Infecção ginecológica;
  • Estresse e queda de imunidade;
  • Alergia a produtos químicos;
  • Uso de contraceptivos;
  • Irritação causada por incontinência urinária;
  • Doenças sexualmente transmissíveis;
  • Uso de peças íntimas apertadas e escuras;
  • Menopausa;
  • Líquen escleroso, doença inflamatória da vulva que causa muita coceira e algumas complicações.

Em períodos de muito estresse, a mulher pode desenvolver a coceira vaginal devido à queda da imunidade, causando coceira intensa, com corrimento claro e esbranquiçado, dor e ardência ao urinar.

Vaginose bacteriana

Essa é a forma mais comum de coceira vaginal e é causada pelo desequilíbrio ou mudança do pH vaginal. Parecida com uma infecção, a vaginose bacteriana produz corrimento aquoso e com odor. O tratamento pode ser feito com cremes receitados pelo ginecologista.

Candidíase vaginal

3 em cada 4 mulheres podem ter um episódio de candidíase vaginal durante a vida. Nesse caso, o prurido vaginal é mais intenso e vem acompanhado de ardência na vulva e na vagina, vermelhidão e corrimento leitoso, sem odor. Não é uma doença sexualmente transmissível e pode atingir inclusive crianças.

Gonorreia

Doença sexualmente transmissível que pode produzir corrimento vaginal quando há infecção do colo do útero, situação que ocorre em metade das mulheres infectadas. Os sintomas são: coceira frequente, dor durante a relação sexual e corrimento purulento. Em casos mais graves de infecção do colo do útero pode surgir sangramento de escape na vagina.

Menopausa

A menopausa também pode desencadear o prurido vaginal. Devido à redução na produção do estrogênio, a mulher desenvolve o prurido vaginal que pode ser solucionado com o uso de lubrificantes locais que amenizam o desconforto.

Durante esse período, o revestimento interno da vagina fica debilitado pela baixa produção de estrogênio, hormônio responsável pela saúde da região íntima. Após a menopausa é comum que a deficiência do estrogênio provoque afinamento e fragilidade do epitélio vaginal, que resulta em atrofia vaginal ou vaginite atrófica.

Líquen escleroso

Essa é uma doença inflamatória, autoimune, que causa muita coceira na região da vulva e períneo. Pode ser acompanhada de manchas brancas que se confundem com vitiligo, e tem o risco de alterar a morfologia da vulva, bem como predispor ao câncer de pele.

Como prevenir

Para se livrar do prurido vaginal você pode adotar alguns hábitos:

  • evitar produtos químicos com irritantes e alergênicos;
  • usar água e sabão neutro para lavar a área íntima;
  • utilizar roupa em algodão;
  • para a secura vaginal, utilizar um lubrificante ou hidratante vaginal.

Se o prurido vaginal persistir por vários dias, procure o seu ginecologista e realize o tratamento adequado. E se você quer conhecer mais sobre a saúde íntima feminina e os cuidados com a higiene, confira esse artigo que preparamos para você!

Tratamento Íntimo a Laser - Rejuvenescimento Íntimo

Dra. Alice Jaruche Nunes

Dra. Alice Jaruche Nunes

A dermatologista Alice Jaruche Nunes atua na Clínica Alice Jaruche Dermatologia, em São Paulo, SP. Seu contato é (11) 3090-4092 ou pelo site www.alicejaruche.com.br.

Sua formação inclui:

- Formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP);
- Residência médica em Dermatologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP);
- Possui título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia;
- Pós-Graduação em Cirurgia Dermatológica pelo
- Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).
Dra. Alice Jaruche Nunes
By | 2019-03-20T09:45:29+00:00 23/01/2018|Categorias: Sintomas e Cuidados|Tags: , , , , , , , , , |Comentários desativados em Prurido vaginal, como tratar?